VÍRGULA

Padrão

VÍRGULA

És uma foice?
Morte ou comuna?
És uma lágrima
e feres, verruma.

Ó scarpin
de ponta-cabeça!
Cílio postiço,
fivela, sevícia…

Corta esse fôlego
mesmo na dor;
talha esse leite:

sê, culinária,
a gota cítrica!
Céu, inferno, vírgula.

Fonte: http://wladimirsaldanha.blogspot.com.br/ 

poeta-Wladimir-SaldanhaWladimir Saldanha nasceu em 1977, Salvador, cidade onde reside. Poeta e contista, é autor dos seguintes livros de poemas: LUME CARDUME CHAMA (7Letras, 2013), CULPE O VENTO (7Letras, 2014) e CACAU INVENTADO (Mondrongo, 2015).

Deixe uma resposta